Folclore BR na mídia e o futuro do projeto

Na mídia

O projeto “Folclore BR apresenta” ganhou uma ótima visibilidade nos últimos meses e gostaria de registrar aqui, até como uma forma de agradecimento, um pouco de tudo que rolou durante esse surpreendente período.

No final de janeiro, postei a primeira arte (que foi a Naiá) retornando ao Folclore BR, depois de um longo inverno investindo em outros projetos, e a ótima aceitação se manteve durante os 2 meses de divulgação dos outros cartazes e sinopses. Esse é o projeto em que eu mais me entrego de coração por acreditar que tem vida própria e traz uma mensagem muito importante de representatividade e respeito que vai para além de mim e isso é o que faz com que eu me sinta tão orgulhoso (e um pouco desesperado rs) quando tenho um retorno infinitamente melhor do que o esperado.

O retorno veio através dos mais de 10 mil compartilhamentos e de seguidores no Facebook, centenas de comentários pelas redes sociais e das matérias em dezenas de blogs e portais que levaram a sério a proposta e levantaram a bandeira de que essa ideia deveria alcançar o infinito.

A cereja desse bolo de amor foi a matéria no jornal Correio Braziliense (de Brasília) em que o projeto saiu ao lado do Imaginário representando uma nova cara para os mitos nacionais. A matéria saiu no dia 10 de abril e foi a primeira vez que tive um projeto meu num jornal (pode não parecer nada, mas foi muito importante para mim).

Eu só tenho a agradecer toda esse carinho e dizer que isso é apenas o começo.

O futuro do Folclore BR

Comecei a ideia dos cartazes como uma provocação, mas no fundo eu desejo que esse projeto se torne algo palpável, um quadrinho, um curta animado ou algo no caminho do visual. Claro que terá uma outra pegada, uma forma diferente da apresentada nos cartazes (que tinham a ideia de ser algo mais “Disney”), mas no caminho dessas sinopses, com esse sentimento, com esse desejo de mudar uma visão estigmatizada da nossa cultura e da nossa forma de pensar a sociedade em geral.

“POR QUE NÃO CORRE E LANÇA LOGO UM QUADRINHO OU LIVRO?”

Quero que o projeto leve a sério a bandeira da representatividade, que converse mais diretamente com o brasileiro, que nos faça sentir orgulho dessa mistura de povos, que não ofenda e nem estereotipe classes e que dê voz para as pessoas que precisam de um holofote de verdade. Estou trabalhando muito para fazer com que a base disso seja estruturada da forma mais significativa possível e isso demanda tempo, muita pesquisa e, infelizmente, dinheiro.

Não deixarei o projeto de lado e não sairei correndo para fazer qualquer coisa que aproveite “a onda do momento”. Fico até um pouco triste em dizer isso, mas o meu foco está em criar algo que seja uma semente para algo lá na frente.

Agora estou buscando conversar com artistas, professores, estudiosos, cineastas, roteiristas, negros, gays, trans, representantes indígenas e diversas pessoas que poderão acrescentar algo ao projeto. Não estou recrutando possíveis membros ainda, mas estudando a melhor maneira para seguir o caminho que desejo (e estou aceitando indicações de pessoas, livros, filmes…) 😉

Não tenho nenhuma previsão para grandes novidades, mas peço que continue acompanhando o Folclore BR: Uma nova visão pelas minhas redes que estarei sempre atualizando por lá.

Agradeço novamente por todo carinho e atenção.

Até mais!

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar